Este Portal é uma iniciativa do Sinaenco, não tendo qualquer ligação com a Fifa e suas atividades
bullet Notícias

Apenas um terço dos aeroportos da Copa está em obras

De um total de 41 intervenções, somente 14 saíram do papel

Seis aeroportos que serão usados na Copa ainda não têm obras (crédito: Elza Fiúza/Agência Brasil)
Tamanho da letra
Diego Salgado - São Paulo
postado em 16/03/2012 15:11 h
atualizado em 16/03/2012 16:43 h

Considerado o calcanhar de aquiles da preparação brasileira para a Copa, o setor aeroportuário tem apenas 14 obras em andamento, de um total de 41 previstas pelo governo até 2014.

Os terminais de Belo Horizonte (Confins), Brasília (Juscelino Kubitschek), Manaus (Eduardo Gomes), Rio de Janeiro (Galeão) e São Paulo (Cumbica) passam por reforma ou ampliação. Já os aeroportos de Curitiba e Natal têm obras nas pistas. As intervenções em Campinas, Curitiba, Cuiabá, Porto Alegre e Salvador ainda estão na fase de projeto.

Em comparação com o cronograma divulgado em setembro do ano passado pela Infraeo, o aeroporto Pinto Martins, em Fortaleza, avançou no processo de ampliação do terminal. Na última quarta-feira (14), a Infraero homologou a licitação do projeto executivo e das obras.

A capital federal passa por uma reforma no corpo central do terminal. A obra, no entanto, não faz parte, segundo a Infraero, da reforma principal.

O maior investimento da estatal ocorre no Rio de Janeiro. Com R$ 813,3 milhões, o aeroporto tem obras nos dois terminais de passageiros e no sistema de pista e pátio.

Da lista divulgada pela Infraero, seis cidades-sede ainda não têm obras iniciadas: Campinas (Viracopos), Cuiabá (Marechal Rondon), Fortaleza (Pinto Martins), Porto Alegre (Salgado Filho), Salvador (Luís Eduardo Magalhães) e Recife (Gilberto Freyre).

A Infraero prevê que os 13 aeroportos da Copa estarão prontos até dezembro de 2013, a seis meses da competição. O total do investimento será de R$ 7,2 bilhões, sendo que R$ 3,7 bilhões sairão dos cofres da estatal.

Desde novembro de 2010, a Infraero não divulga as datas de início das obras. Na ocasião, na comparação entre os cronogramas apresentados em março e maio daquele ano, 11 aeroportos tiveram obras adiadas.

Investimento total é de R$ 7,2 bilhões, com R$ 3,7 bi da Infraero (crédito: José Cruz/Agência Brasil)

Concessões
Em São Paulo, a obra do terminal 3 está na fase de terraplanagem. Privatizado em fevereiro, Cumbica terá mudanças no plano de obras. A construção do novo terminal, a conclusão da fase 2 do terminal remoto e as obras no sistema de pista e pátio serão responsabilidade da concessionária. O investimento também foi modificado: do total de R$ 2,04 bilhões, a Infraero, que está à frente do projeto do terminal 3, repassará somente R$ 665 milhões.

O mesmo ocorrerá em Brasília e Campinas. No Juscelino Kubitschek, a concessionária tocará a ampliação do terminal e dos sistemas de pátio e viário, em um custo de R$ R$ 626,5 milhões. Responsável apenas pelo projeto do terminal e pela implantação do MOP, a Infraero investirá R$ 16,9 milhões. Em Viracopos, a estatal gastará R$ 8,4 milhões no projeto do atual terminal. A concessionária vai investir R$ 873 milhões nas obras dos dois terminais e na ampliação do sistema de pista e pátio.

No aeroporto de São Gonçalo do Amarante, em Natal, o gasto da Infraero será um pouco mais elevado: R$ 174,4 milhões contra R$ 618,1 milhões da concessionária. A estatal é responsável pela terraplanagem e pelas primeiras intervenções na pista. A construção do terminal e do sistema viário terão a concessionária à frente.

Obras concluídas
Das intervenções previstas pela Infraero no cronograma anterior, quatro foram concluídas. Os aeroportos de Porto Alegre e Cuiabá inauguraram módulos operacionais provisórios. Cumbica passou, desde janeiro, a operar com um terminal remoto, com capacidade para receber até 5,5 milhões de passageiros por ano. O aeroporto paulista também finalizou a ampliação do sistema de pista e pátio.

Entre as 41 obras previstas até a Copa, seis devem ficar prontas ainda em 2012. Em São Paulo, a fase 2 do terminal remoto (dezembro) e a terraplanagem do terminal 3 (setembro). Em Brasília, o MOP (abril) e a intervenção no corpo central do atual terminal (julho).

A lista ainda tem as obras na pista e nos pátio do aeroporto de Curitiba, com conclusão até junho. As outras 35 obras ficarão prontas entre março e dezembro de 2013.





 
nosso time
realização
Sinaenco - Sindicato Nacional das Empresas de Arquitetura e Engenharia Consultiva
tecnologia e criação
XY2 | Agência Digital
hosting
Telium Networks
segurança da informação
LSI TEC - Laboratório de Sistemas Integráveis Tecnológico
 
patrocínio
Gerdau
 
apoio
ArcelorMittal
 
Resolução Mínima de 1024x768 - © Copyright 2009 portal2014.org.br Todos os direitos reservados.