Este Portal é uma iniciativa do Sinaenco, não tendo qualquer ligação com a Fifa e suas atividades
bullet Notícias

Estádios da Copa podem ficar 300% mais caros

Custo das arenas da Copa do Mundo já ultrapassa os R$ 10 bilhões

O Maracanã da Copa 2014 pode custar mais de R$ 1 bilhão
Tamanho da letra
Rodrigo Prada - Brasília
postado em 01/07/2009 00:49 h
atualizado em 02/07/2009 02:35 h

Apenas dois meses após a definição das doze cidades que receberão os jogos da Copa do Mundo de Futebol de 2014, os gastos projetados para a construção e reforma dos estádios do Mundial já subiu mais de 300%, segundo arquitetos ouvidos pelo portal Copa2014.org.br. O salto dos valores, que já chegam a R$ 10 bilhões, explica-se de um lado pelo início da fase de detalhamento dos projetos e também pela inclusão de coberturas em todas as arenas, conforme recomendação da federação internacional.

Em 31 de maio, quando a Fifa anunciou as cidades-sede, o custo estimado das reformas e construções dos estádios divulgado pelas candidaturas não passava dos R$ 2,8 bilhões, excluída a reforma do Mineirão, em Belo Horizonte, e a construção de um novo estádio na zona metropolitana de Recife. Antes mesmo do anúncio das cidades, levantamento do jornal "Folha de S.Paulo" já apontava gastos 67% maiores, então estimados em cerca de R$ 3,7 bilhões.

A cobertura é um dos grandes vetores da arrancada de gastos. O item não é obrigatório, mas todas as candidaturas apresentaram estádios com cobertura total das arquibancadas para somar pontos na escolha da Fifa e da CBF. Outro fator que influenciou a subida de custos foi a mudança de fase dos projetos. Em maio, as candidaturas apresentaram apenas o conceito das futuras arenas da Copa. Agora, partem para o detalhamento dos projetos, fase em que os valores se aproximam do custo real.

A reportagem do portal Copa 2014.org.br apurou também que, além do Maracanã, pelo menos outros dois estádios terão gastos superiores a 1 bilhão de reais. Outro projeto que teve seus custos elevados foi o Morumbi, em São Paulo. Depois que o estádio recebeu críticas do secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, o investimento necessário para adequá-lo às exigências da entidade aumentaram 220%, passando de R$ 180 milhões para R$ 400 milhões.

Cuiabá mudou o projeto do Verdão logo após ser confirmada como sede (crédito: GMC Arquitetos)

Mudanças
O custo não foi a única mudança nas arenas da Copa desde que a Fifa definiu as doze cidades-sede. Em Cuiabá (MT), o comitê local substituiu o escritório Castro Mello Arquitetos pelo GCP Arquitetos logo após a confirmação da cidade como uma das sedes. O projeto do estádio José Fragelli (Verdão) foi completamente reformulado, o que levantou dúvidas sobre os critérios técnicos para a escolha.

Segundo o presidente do comitê, Yuri Bastos, as mudanças ocorreram "para simplificar o projeto e reduzir gastos". No entanto, o novo projeto está orçado em R$ 430 milhões, enquanto o antigo previa gastos de R$ 350 milhões, segundo o Sinaenco (Sindicato Nacional da Arquitetura e Engenharia).

O Ministro dos Esportes, Orlando Silva, tem insistentemente alertado as cidades que sediarão o Mundial de Futebol para que as arenas sejam modestas e avisa que o governo federal não dará seu aval a projetos megalômanos.





 
nosso time
realização
Sinaenco - Sindicato Nacional das Empresas de Arquitetura e Engenharia Consultiva
tecnologia e criação
XY2 | Agência Digital
hosting
Telium Networks
segurança da informação
LSI TEC - Laboratório de Sistemas Integráveis Tecnológico
 
patrocínio
Gerdau
 
apoio
ArcelorMittal
 
Resolução Mínima de 1024x768 - © Copyright 2009 portal2014.org.br Todos os direitos reservados.