Este Portal é uma iniciativa do Sinaenco, não tendo qualquer ligação com a Fifa e suas atividades
bullet Notícias

O legado que esperamos

A menos de cem dias da Copa das Confederações, Fortaleza está preparada para sediar os jogos?

Castelão foi o primeiro estádio pronto; mas e a infraestrutura? (crédito: Divulgação)
Tamanho da letra
Arthur Oliveira Costa Sousa*
postado em 20/03/2013 11:26 h
atualizado em 20/03/2013 17:04 h

O grande trunfo da preparação de Fortaleza para a Copa das Confederações foi a entrega, em dezembro do ano passado, da nova arena Plácido Castelo. O nosso Castelão foi o primeiro estádio, entre os seis escalados para a competição, a ficar pronto. 

O cumprimento do cronograma da obra garantiu um período razoável de realização de testes de operação da arena em dias de jogos, para a verificação das condições de segurança, funcionamento de equipamentos (iluminação e drenagem, por exemplo), acomodação dos torcedores e da imprensa. Enfim, itens essenciais para o atendimento das exigências da Fifa e para a promoção de um evento dessa envergadura. 

Ainda em 2008 e 2009, o Sinaenco peregrinou por 16 capitais brasileiras candidatas a receber jogos da Copa do Mundo de 2014, com o objetivo de conhecer as condições de transportes, energia, saneamento, hotelaria, saúde, educação e infraestrutura esportiva dessas cidades, e projetar legados possíveis pós-evento. A ação gerou o relatório "Vitrine ou Vidraça - Desafios do Brasil para a Copa de 2014." 

Um dos problemas levantados sobre Fortaleza à época foi a necessidade de melhorias no entorno do Castelão, localizado em área de periferia, cercado por moradias de baixa renda. O Sindicato alertou para a necessidade de “planejamento e investimentos maciços na região, como parte dos preparativos para receber a Copa”. 

A transformação da área já se encontra em curso como parte da preparação de Fortaleza para os megaeventos de 2013 e 2014. A inauguração da sede da Secretaria do Esporte do Estado (Sesporte) e do Departamento de Arquitetura e Engenharia (DAE); do auditório e da praça com 55 mil metros quadrados, melhorias em transporte, vias urbanas e saneamento vão ajudar a valorizar a área.

Para a Copa das Confederações, um trecho de obras viárias, da avendida Alberto Craveiro e a rotatória em frente ao estádio, serão priorizados e contribuirão certamente para melhorar a fluidez do tráfego nos dias de jogos. 

"No entanto, o maior desafio de Fortaleza para a Copa do Mundo é o início da operação dos sistemas de transportes coletivos da cidade, o Bus Rapid Transit (BRT) e o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) antes de junho de 2014."

A nova gestão da capital cearense tem como tarefa urgente a solução de uma série de entraves (como desapropriações e interferências) que impossibilitaram o avanço dos projetos nos anos anteriores. Essa arrancada nos projetos e obras será fundamental para que a cidade de Fortaleza possa mostrar-se ao mundo como uma capital moderna e bem estruturada. 

E, sem desmerecer a importância da nova Arena Castelão, o VLT e BRT serão as obras que terão o impacto mais significativo no dia a dia dos cidadão após o megaevento de 2014. É o legado que todos esperamos.

Arthur Oliveira Costa Sousa

*Arthur Oliveira Costa Sousa é engenheiro e presidente do Sinaenco Regional Ceará.
Artigo originalmente publicado no jornal "O Povo".





 
nosso time
realização
Sinaenco - Sindicato Nacional das Empresas de Arquitetura e Engenharia Consultiva
tecnologia e criação
XY2 | Agência Digital
hosting
Telium Networks
segurança da informação
LSI TEC - Laboratório de Sistemas Integráveis Tecnológico
 
patrocínio
Gerdau
 
apoio
ArcelorMittal
 
Resolução Mínima de 1024x768 - © Copyright 2009 portal2014.org.br Todos os direitos reservados.